FESTIVAIS

História da Filosofia
em 40 Filmes - 2011

História da Filosofia
em 40 Filmes - 2010

Assim Vivemos 2009
Assim Vivemos 2007
Assim Vivemos 2005
Assim Vivemos 2003
Nouvelle Vague DF
Clandestina Liberdade DF
Clandestina Liberdade SP
Analógico Digital
Mostra Um Olho no Livro Outro na Tela
Short Film Festival 2005

CAIXA Cultural e Oscar Iskin
Apresentam:

História da Filosofia em 40 Filmes

Mostra cinematográfica abre espaço para reflexão sobre Cinema e Filosofia

CAIXA Cultural RJ – Cinema 2 Curadores e palestrantes: Alexandre Costa e Patrick Pessoa De 16 de maio de 2009 a 28 de fevereiro de 2010, sábados às 10h30 Entrada franca

historia da filosofia em 40 filmes

A CAIXA Cultural Rio apresenta, a partir de 16 de maio, ‘A História da Filosofia em 40 Filmes’. Com curadoria de Alexandre Costa e Patrick Pessoa, a mostra-curso põe em pauta temas filosóficos fundamentais e promove o diálogo de cineastas, como Bergman, Fellini, Glauber, Wenders, Kurosawa, Kubrick, Visconti e Godard, com importantes pensadores, entre eles Platão, Descartes, Kant, Marx, Nietzsche, Benjamin, Heidegger, Sartre e Foucault. A entrada é franca.

Organizado em dez módulos temáticos – “O que é a filosofia?”, “Questões estéticas”, “Mito e Tragédia”, “O Existencialismo”, ”O amor em fuga”, “Morte e Finitude”, “História e Violência”, “O Fascismo hoje”, “Cinema e Revolução” e “O cinema nacional e a interpretação do Brasil” –, a mostra/curso ‘A História da Filosofia em 40 Filmes’ faz refletir sobre diferentes disciplinas filosóficas, tais como a metafísica, a epistemologia, a ética, a política e a estética.

O curso será realizado de maio de 2009 a fevereiro de 2010, sempre aos sábados, totalizando 40 aulas. Ao final da exibição de cada filme, Alexandre Costa e Patrick Pessoa vão proferir uma palestra sobre o teor filosófico do filme apresentado.

Abrindo o evento, nos dias 16, 23 e 30 de maio e 06 de junho, a reflexão sobre “O Que é a Filosofia?” pretende apresentar de forma clara o conceito de filosofia que deverá nortear a análise de todos os filmes propostos. Serão exibidos os filmes Rashomon, de Akira Kurosawa, Persona, de Ingmar Bergman, Stalker, de Andrei Tarkovsky, e Blow-up, de Michelangelo Antonioni.

No mês de junho e na primeira semana de julho, em “Questões Estéticas”, será colocada em discussão a origem e o caráter do Belo na Arte, com base nos filmes Morte em Veneza, de Luchino Visconti, Oito e meio, de Federico Fellini, Cidade dos Sonhos, de David Lynch, e Asas do Desejo, de Wim Wenders.

No módulo “Mito e Tragédia”, os filmes possibilitam considerar as origens da filosofia e sua distinção frente à antiga tradição poética grega, caracterizando, assim, no que se diferenciam a linguagens mitopoética e a lógico-filosófica. As obras apresentadas também servirão de base para a discussão sobre as variações históricas do trágico, tornando possível evidenciar as diferenças entre as tragédias antiga, moderna e contemporânea. Esse módulo, que vai de julho ao início de agosto, apresentará Medéia, de Pier Paolo Pasolini, Oldboy, de Chan-wook Park, Ladrões de bicicleta, de Vittorio De Sica, e Crimes e Pecados, de Woody Allen.

De agosto a setembro, “O Existencialismo” abordará as principais questões levantadas por este movimento, com ênfase nas obras de Sartre e Camus, a partir dos filmes A doce vida, de Federico Fellini, Estranhos no paraíso, de Jim Jarmusch, Acossado, de Jean-Luc Godard, e As coisas simples da vida, de Edward Yang.

“Amor em fuga” e “Morte e Finitude” perfazem um binômio que aborda os temas humanos mais decisivos, o amor e a morte, discutindo até que ponto as contribuições dos filósofos da tradição ainda servem para dar algum sentido à existência dos homens contemporâneos. De setembro a outubro, o público vai conferir clássicos como A janela indiscreta, de Alfred Hitchcock, O último metrô, de François Truffaut, Ricardo III, de Al Pacino, e Dogville, de Lars von Trier, entre outros.

Em novembro “Fascismo Hoje”, que apresentará filmes como Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick, e M, o vampiro de Düsseldorf, de Fritz Lang, vai destrinchar as características deste movimento e dos ideais totalitários surgidos após a Primeira Guerra Mundial. Já em dezembro, em “Cinema e Revolução”, filmes como O Anjo exterminador, de Luis Buñuel, e O homem sem passado, de Aki Kaurismaki, vão apresentar a relação entre cinema e revolução, analisando as obras sob três prismas: o das revoluções bem sucedidas ou fracassadas, o das possíveis e o das invisíveis. Paralelamente a esse debate sobre como o cinema tratou o tema “revolução”, será discutido por que o cinema é a ferramenta mais revolucionária das artes do século XX.

Abrindo o ano de 2010, a cinematografia brasileira será posta em pauta no módulo “O Cinema Nacional e a Interpretação do Brasil”. Em um país sem grande tradição na produção de obras filosóficas, os grandes filósofos são Machado de Assis, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, Mário de Andrade, Glauber Rocha, Leon Hirszman. Partindo dessa convicção, os filmes selecionados para esse módulo apresentam um panorama do melhor da produção filosófico-cinematográfica nacional. Fazem parte da filmografia desse módulo clássicos como Deus e o diabo na terra do sol, de Glauber Rocha, e Brás Cubas, de Julio Bressane.

Alexandre Costa, curador da mostra, esclarece que “a seleção dos filmes foi norteada por dois critérios dificilmente separáveis: o primeiro, filosófico; o segundo, estético. Visando a contemplar um público não necessariamente familiarizado com o tipo de reflexão filosófica característica dos meios acadêmicos, optou-se sempre por filmes que formulassem com clareza as questões filosóficas que servem de fio condutor a cada um dos módulos”.

“É importante frisar, no entanto, que não tratamos o cinema como um meio, um veículo destinado à mera ilustração de idéias e conceitos filosóficos, mas como uma linguagem artística autônoma. Desse modo, os quarenta filmes selecionados para este projeto reafirmam o seu valor estético na justa medida em que resistem à sua instrumentalização, seduzindo-nos com uma linguagem que diz sempre muito mais (ou muito menos) do que a linguagem conceitual”, complementa Patrick Pessoa.

A mostra-curso ‘A história da filosofia em 40 filmes’ foi aprovada pelo edital 2008 de ocupação dos espaços da CAIXA Cultural e ficará em cartaz todo os sábados entre 16 de maio de 2009 e 28 de fevereiro de 2010. Confira a programação completa no serviço.

SERVIÇO

  • Mostra-curso: A HISTÓRIA DA FILOSOFIA EM 40 FILMES
  • Curadores/palestrantes: Alexandre Costa e Patrick Pessoa
  • Realização: Lavoro Produções – www.lavoroproducoes.com.br
  • Local: Teatro Nelson Rodrigues
  • Temporada: de 16 de maio 2009 a 28 de fevereiro de 2010 (sempre aos sábados)
  • Horário: das 10h30min às 14h
  • Sessões seguidas de palestras
  • Classificação: confira a classificação de cada filme na programação
  • Entrada Franca (senhas a partir das 10h, por ordem de chegada)
  • Capacidade: 85 lugares
  • Acesso para cadeirantes
  • Acesse a programação da CAIXA Cultural: www.caixa.gov.br/caixacultural

PROGRAMAÇÃO

Horário: 10h30 às 14h (filme seguido de palestra)

MODULO 1 – o que é a filosofia?

MODULO II - questões estéticas

MÓDULO III - mito e tragédia

MÓDULO IV - o existencialismo

MÓDULO V - o amor em fuga

  • 05/09/09 Aurora | F. W. Murnau – Livre AUDIO da AULA Audio
  • 12/09/09 Janela indiscreta | Alfred Hitchcock – 12 anos AUDIO da AULA Audio
  • 19/09/09 Todas as mulheres do mundo /Domingos de Oliveira – 14 anos AUDIO da AULA Audio
  • 26/09/09 O último metrô | François Truffaut – 14 anos AUDIO da AULA Audio

MÓDULO VI - morte e finitude

MÓDULO VII - história e violência

MÓDULO VIII - o fascismo hoje

  • 28/11/09 M, o vampiro de Düsseldorf | Frizt Lang – 18 anos AUDIO da AULA Audio
  • 05/12/09 Taxi Driver | Martin Scorsese – 14 anos AUDIO da AULA Audio
  • 12/12/09 Apocalypse now | Francis Ford Coppola – 16 anos AUDIO da AULA Audio
  • 19/12/09 Laranja mecânica | Stanley Kubrick – 18 anos AUDIO da AULA Audio

MÓDULO IX - cinema e revolução

  • 09/01/10 O anjo exterminador | Luis Buñuel – 14 anos AUDIO da AULA Audio
  • 16/01/10 O encouraçado Potemkin | Sergei Eisenstein – Livre AUDIO da AULA Audio
  • 23/01/10 O homem sem passado | Aki Kaurismaki - 14 anos AUDIO da AULA Audio
  • 30/01/10 Nós que nos amávamos tanto | Ettora Scola – 14 anos AUDIO da AULA Audio

MÓDULO X - o cinema nacional e a interpretação do Brasil

  • 06/02/10 São Bernardo | Leon Hirszman – 10 anos AUDIO da AULA Audio
  • 20/02./10 Deus e o diabo na terra do sol | Glauber Rocha – 14 anosAUDIO da AULA Audio
  • 27/02/10 Brás Cubas | Julio Bressane – 12 anosAUDIO da AULA Audio
  • 28/02/10 Macunaíma | Joaquim Pedro de Andrade – 12 anosAUDIO da AULA Audio

Assessoria de Imprensa
Caixa Econômica Federal
CAIXA Cultural - Rio de Janeiro/RJ
Cels: (21) 82150900//78921433//96174772
www.caixa.gov.br/caixacultural

www.lavoroproducoes.com.br - email: contato@lavoroproducoes.com.br - tel./fax: 55(21)2542-1662 - powered by Educs